quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Tropa de Elite 2 está bem guardado

... em um cofre de banco. Isso sim, você não está louco, o filme brasileiro mais aguardado do ano está em um cofre de banco. O diretor José Padilha tomou muitas medidas de segurança para que o segundo filme de Tropa de Elite não seguisse o mesmo caminho que o primeiro e se tornasse o maior filme pirateado do ano. O Jornal O Globo de ontem publicou uma materia sobre o filme que será lançado dia 08 de outubro no Brasil.

Nem “Avatar“, que James Cameron concebeu com absoluta privacidade, dizendo “não” atrás de “não” aos assédios da imprensa, foi cercado de tanto mistério quanto “Tropa de Elite 2“. O diretor José Padilha filtra cada informação sobre o longa-metragem. Tanto pudor é ressaca da pirataria que transformou o primeiro filme, ambientado em 1997 e lançado há três anos, no maior fenômeno popular do cinema nacional desde a Retomada.
Na hora de mandar o roteiro para a Ancine (Agência Nacional do Cinema), ele foi enviado com o nome de “Crime organizado” e chegou a ser impresso com tinta vermelha, para que não pudesse ser xerocado - conta Padilha. – Sofremos muito com a pirataria no primeiro filme. Na época, um número razoável de pessoas, inclusive algumas ligadas à classe cinematográfica, acusou a gente de ter feito a própria pirataria para promover o filme. Por isso, tomamos uma série de medidas preventivas, definidas num brainstorm entre nossos finalizadores e uma equipe de segurança do Rodrigo Pimentel (ex-integrante do Bope e argumentista do longa). Hoje, se alguém quiser dicas de como manter um filme seguro, nós temos um know-how bom.
Entre as “medidas”, o diretor depositou no cofre de um banco a cópia digital do filme, que contém as imagens finalizadas mas não tem som, editado separadamente.
Quando o “Fantástico” quis gravar umas cenas do cofre, para a reportagem sobre o filme, a relações-públicas questionou dizendo que alguém poderia tentar arrombá-lo para roubar o filme. O engraçado é que ela parecia ignorar os milhões e milhões de reais ali guardados – diz o diretor.
Ganhador do Urso de Ouro em Berlim, em 2008, Padilha explica que o filme não é uma adaptação do livro “Elite da tropa 2“, de Luiz Eduardo SoaresCláudio FerrazRodrigo Pimentel e André Batista, que a[editora] Ediouro lança no próximo dia 8, de carona no longa.
- Embora o universo retratado seja o mesmo, não existe dependência entre o livro e o filme, que, após o lançamento no Brasil, eu espero submeter a festivais internacionais como Sundance, Berlim, Cannes e Veneza.


Nenhum comentário:

Postar um comentário